Sobre o Museu

O Museu da Vitivinicultura nasceu com o objetivo de arquivar e manter a história da Vitivinicultura de Santa Catarina, que teve seu início há mais de 90 anos. O acervo do museu conta ainda parte dos 130 anos da imigração italiana em Santa Catarina - que foi a colonização responsável pela implantação definitiva da cultura da uva e do vinho no estado -, e destaca também a trajetória de imigrantes alemães, franceses e suíços, que povoaram o meio oeste de Santa Catarina e fizeram da vitivinicultura sua história. Além de objetos correlacionados à Vitivinicultura e à Imigração, visitando o Museu você encontrará peças de colecionismo, instrumentos indígenas, engenhos e outras curiosidades.

Histórico

Construído em 2003, o Museu nasceu de um sonho dos diretores da Vinícola Panceri, Celso e Luiz Panceri. Luiz Panceri, amante da história da imigração italiana e pesquisador da família Panceri, construiu o museu com o objetivo inicial de arquivar e manter a história da família, que está inteiramente entrelaçada à vitivinicultura.

Mas foi em 2009, graças ao apoio do Governo do Estado de Santa Catarina através do Funturismo; e do Governo Federal através do Ministério da Cultura, que a estrutura do Museu foi ampliada e seu acervo catalogado, passando a ser então o Museu da Vitivinicultura de Santa Catarina, já que as peças que o compõe provém de todas as regiões produtoras de uva e de vinho no estado.

Dividido em três seções - Vitivinicultura, Imigrante e Família Panceri - o museu tem objetos que datam 1900 e retratam o início da vida do imigrante nas terras catarinenses e o seu árduo progresso,desde o cultivo de outras culturas, como milho e trigo, até a conquista da plantação dos tão sonhados parreirais.

Na exposição podemos ressaltar os rótulos e garrafas dos anos 60, das primeiras vinícolas do estado a engarrafar e vender vinhos finos. Ferramentas para a construção de pipas e barris de madeiras, objetos de laboratório, garrafões de vidro e máquinas de sulfatar.